quinta-feira, 30 de janeiro de 2014

Pedalar é preciso



segunda-feira, 20 de janeiro de 2014

Bem-te-vi de vassoura

Uma dia acordei como em uma manhã qualquer, fiz meu desjejum e fui na área de serviço da minha casa. É uma área de aproximadamente 5x3 m e tem um portão que dá acesso ao quintal. Fui ao tanque lavar uma sandália e tomei um susto com um pássaro voando por cima da minha cabeça, analisei, vi um ninho um pouco acima do tanque em um jarro e toda vez que eu e todos aqui de casa iam ao tanque levavam vários sustos. Depois disso, voltou a nidificar mais duas vezes aqui na área, uma numa brecha entre as telhas e outra em um lugar muito curioso, uma vassoura de teto. Sim, uma vassoura de teto! Minha mãe indagou “com tanta árvore por ai esse passarinho foi fazer um ninho logo na minha vassoura, como que vou varrer o teto?”. Depois disso tudo comecei a refletir se era o pássaro, que estava invadindo nosso espaço ou nós o dele? 
As aves tem um habito alimentar muito variado podendo ser frugívoras, granívoras, insetívoras, nectarívoras, carnívoras, piscívoras, detritívoras ou necrófagas e onívoras, justamente por isso elas desempenham papeis fundamentais na cadeia alimentar, polinização e na dispersão de sementes, sendo assim muito importantes para o equilíbrio ecológico. 
Cada vez mais os remanescentes florestais estão sendo fragmentados devido ao avanço da construção de rodovias, casas e de edifícios, os pássaros estão perdendo seu habitat natural, e tendo que cada vez mais se habituar-se as grandes cidades e achar novos meios de se alimentar, nidificar e viver. Algumas aves ainda conseguem se adaptar ao meio urbano como os pombos e o bem-te-vi, sendo o último que se adaptou muito bem a região ao redor da minha casa, que por sinal, ainda é muito arborizada e a minha área de serviço. 

O Bem-te-vi é a personificação da adaptação, pois sua alimentação, que apesar de ser insetívora, pode variar bastante, incluindo minhocas, frutas, flores, pequenas cobras, lagartos, girinos e peixes de lagos e rios rasos, carrapatos de bovinos e equinos, ovos de outras aves e ainda, se encontrarem de bobeira por aí, não vão deixar passar a ração de gatos ou cachorros desatentos.
O fato é que, uma vez que nosso ambiente já foi modificado devemos no mínimo aprender a conviver com os animais urbanos, pois antes do crescimento das cidades, aqui já era o seu habitat e tomar posturas para que não prejudique o desenvolvimento de determinadas espécies, assim como minha mãe, que ficou sem sua vassoura de teto.




Por Ubirajara Marinho, especialmente para o Planctônico

domingo, 5 de janeiro de 2014

Curiosidades sobre os golfinhos

Os golfinhos são animais extremamente populares e queridos por todos, mamíferos aquáticos do grupo dos cetáceos apresentando estrutura social complexa o que geralmente chama muita a atenção de pesquisadores e o público em geral. O Planctônico reuniu algumas curiosidades interessantes, e outras nem tanto, desses animais fantásticos.



Golfinhos evoluíram da terra para a água

Todo mundo faz na cabeça a imagem de evolução como peixes que se cansaram dos oceanos, criaram pseudo-pernas e se arrastaram para fora da água. Quando se pensa em evolução Pois os golfinhos fizeram justamente o caminho contrário. Há fortes indícios de que eles eram predadores em terra, que, enjoados da lentidão com que a gravidade os forçava a se locomover, foram migrando para a água. A base para essa teoria é o formato do embrião do golfinho, no qual é possível ver quatro membros querendo se definir. Os golfinhos, então, teriam passado a viver na água por cada vez mais tempo e os membros foram perdendo importância, o que caracterizou sua evolução. Coisa de umas dezenas de milhões de anos…

A Orca é um golfinho

As pessoas chamam a Orca de Baleia Assassina. Mas esse apelido é muito injusto. “Por quê?”, Perguntará você. “Porque ela não é assassina”? Não. É porque ela na verdade não é uma baleia, e sim um golfinho. O apelido é injusto com as pobres baleias. Agora, assassina a Orca realmente é por ser uma predadora voraz e por ocorrência de alguns incidentes com a mesma.

Golfinhos são altamente sexuais

O golfinho é um dos animais mais ativos sexualmente no mundo. Tirando os primatas, é o único que faz sexo apenas por prazer. Apesar de uma gestação levar de 12 a 17 meses (dependendo da espécie) eles podem muito bem fazer orgias, se engajar com quantas parceiras e – pasmem – parceiros que encontram pela frente. Sim, existe até homossexualismo entre os golfinhos. Alguns chegam até mais longe, usando brinquedos sexuais , tais como gravetos e ossos, para apimentar as relações.

Golfinhos são caçadores espertos

Não restam dúvidas de que o golfinho é um animal esperto. Eles são caçadores muito astutos  agindo em cooperação para caçar peixes. Um grupo pequeno de golfinhos consegue se posicionar bem de modo a encurralar facilmente centenas de peixes, garantindo uma refeição para todos do grupo.

Golfinhos podem ser treinados para a guerra

Existem histórias pouco divulgadas, durante a guerra fria, entre Estados Unidos e União Soviética. Uma delas, esquisitíssima, diz que os soviéticos venderam “golfinhos de combate” para o Irã. Felizmente, eles acabaram não sendo usados. Imagine só um bando exército de golfinhos atacando algum lugar!

Fonte: Hype Science

Quer saber mais sobre golfinhos? Aqui eu trago dois links com um material bem simples porém rico sobre golfinhos, aproveitem!!!

Tudo sobre golfinhos! - PDF

Os nosso amigos golfinhos - PDF