sexta-feira, 21 de dezembro de 2012

Aplicativos Biológicos

Estava navegando no site do Prof. Marcos Barros, aluno do programa de pós-graduação em Ensino de Ciências da UFRPE e Coordenador de Pesquisa e extensão da Faculdade SENAC - PE (@marcosabarros) onde pode-se encontrar uma relação de sites para o Ensino de Ciências listado pela professora Patrícia Smith do Programa de Pós Graduação de Educação Matemática e Tecnológica da UFPE. Em um desses sites encontrei alguns aplicativos para Smartphones (Android) e Iphones (IOS) relacionados a biologia, meio ambiente, anatomia e paleontologia nos quais tem um grande potencial para o aprendizado móvel.



Outro site que eu recomendo é o da SEARA da Ciência da Universidade Federal do Ceará - UFC, onde pode-se encontrar dicas para feira de ciências, animações, curiosidades de Biologia, Química, Física, Matemática e Astronomia.




terça-feira, 18 de dezembro de 2012

Humor Biológico #14






segunda-feira, 3 de dezembro de 2012

4º simpósio Hipertexto e Tecnologias na Educação

Nesse evento apresentei um trabalho sobre este blog e tive a honra de ter na platéia prof. João Mattar autor e pesquisador de tecnologia educacional. Deixo o registro dessa experiencia em fotos que compartilhei com meus companheiros acadêmicos Adelmo Teotônio e Deise France.










terça-feira, 27 de novembro de 2012

Guia Mangá Bioquímica


Um belo dia estava eu a passear pela Livraria Cultura (minha parceira) olhando alguns livros na sessão de ciências biológicas quando me deparei com esse livro inusitado naquela estante. Refleti de como essa inciativa de criar uma livro nesse formato (mangá) é muito interessante sobretudo para as gerações Y e Z que estão nas escolas e universidades, que associam a construção do conhecimento, seus estudos com o prazer. Esse livro de bioquímica traz de forma leve e descontraída os princípios dessa ciência por vezes tratada como de difícil compreensão. Recomendo a leitura.

segunda-feira, 26 de novembro de 2012

Cursos EAD - Scientia

O blog do Prof. Valdi Tutunji possui uma série de cursos online (alguns gratuitos) com o objetivo de um aprimoramento dos conhecimentos dos estudantes das diversas graduações da área de saúde.



Acesse o blog - http://www.scientia.bio.br
Curta a página no Facebook - https://www.facebook.com/www.scientia.bio.br

quinta-feira, 25 de outubro de 2012

Mitos desvendados

Essa é popularmente conhecido como a regra dos cinco segundos. Se você derrubar algum alimento no chão ele demora cinco segundos para ser contaminado por microrganismos, que geralmente podem causar infecções. Como a imagem nos mostra até os germes vivem apressados hoje em dia. A contaminação é imediata e não ocorre apenas por bactérias mas também por substâncias químicas nocivas a saúde humana, dicas ~simples como lavar as mãos e deixar frutas e verduras em solução com água sanitária são básicas para se evitar uma grande gama de doenças.

Se ligue!!!
Caiu no chão? Jogue no lixo!!!
Sua saúde agradece!!!


quinta-feira, 18 de outubro de 2012

Google Earth - ferramenta pedagógica

Conhecer o mundo que se vive é fundamental para qualquer ser vivo existente no nosso planeta. O Google Earth possibilita uma circunavegação pelo globo terrestre, possibilitando uma observação de localidades urbanas e naturais de qualquer lugar do planeta.

quinta-feira, 4 de outubro de 2012

Homenagem aos alunos do 2001


2º ano Colégio "B" 2001 - Olinda


2º ano Colégio "C" 2001 - Recife


2º ano "C" Colégio 2001 - Recife

segunda-feira, 1 de outubro de 2012

domingo, 16 de setembro de 2012

Humor biológico #13

Tirinhas por Laerte.






Reflexão sobre o ensino médio e as repercussões no Ensino Superior


Minha amiga, Pedagoga Deise France me mandou um e-mail com uma matéria do Blog de Roberto Lobo que retrata a realidade precária do ensino médio em relação a construção de competências necessárias para que esses estudantes possam chegar ao ensino superior com um pensamento crítico e reflexivo, fundamentais para essa esfera da educação.

O objetivo do ensino médio parece que foi esquecido. É nesse nível de ensino que temos o desenvolvimento e a solidificação dos conceitos científicos e a introdução para um pensamento reflexivo, de fazer pensar... Nos últimos tempos temos a implantação da obrigatoriedade do ensino de filosofia que contribui de maneira ímpar para o alcance desse objetivo. 
Com a expansão do ensino superior das últimas décadas e a adoção do ENEM como forma de seleção para a maioria das universidades do país, me parece que esqueceram que as seleções (vestibulares) serviam para selecionar os estudantes que tinham ou não competências para ingressar em uma universidade, algo que o ENEM ainda não realiza com eficácia.

Segue o texto de Roberto Lobo...


O ensino médio e as repercussões no ensino superior

13/09/2012 - A má formação dos estudantes do ensino básico (fundamental e médio), que o Ideb só veio confirmar, tem repercussões extremamente negativas no ensino superior. O Brasil tem demonstrado péssimo desempenho em todos os testes internacionais e se situa próximo à 50.ª posição nos exames do Pisa (organizado pela OCDE, Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico), que são aplicados a estudantes do ensino básico em aproximadamente 60 países.
As políticas de expansão das vagas no ensino universitário esbarram na falta de preparação de uma parcela grande dos egressos do ensino médio.
Com a exceção de algumas instituições de nível elevado, inclusive internacionalmente falando, e altamente seletivas, a maioria das instituições de ensino superior recebe estudantes mal preparados e, como diz o professor Vincent Tinto, da Universidade de Syracuse nos EUA e especialista nos estudos de evasão: “O grande problema dos estudantes que ingressam nas universidades americanas não é a falta de domínio dos conteúdos, mas a dificuldade de pensar por si mesmos.”
Por causa dessa má formação dos egressos do nosso ensino médio, a grande maioria das instituições de ensino superior cada vez mais se defronta com duas alternativas: ou recusam estudantes sem formação e ficam com muitas vagas ociosas e, se forem privadas, com dificuldades para se viabilizar financeiramente; ou são forçadas a baixar o nível de dificuldade de seus cursos e/ou a criar programas de nivelamento (que se tornam indispensáveis em razão do nível do ingressante). Tais programas, dependendo de sua intensidade e duração, podem atrasar o desenvolvimento curricular dos cursos e onerar a instituição, mas ao menos fazem com que as disciplinas dos primeiros anos possam ser minimamente acompanhadas por esses alunos.
O Brasil tem proposto vários projetos para ampliar o número de estudantes no ensino superior, com a abertura de vagas públicas e programas específicos de financiamento e de inclusão. No entanto, a quantidade de estudantes que se forma no ensino médio é a mesma dos ingressantes no ensino superior, o que demonstra que os grandes gargalos para a ampliação do ensino superior, como já se sabe há muito tempo, são: a formação precária dos estudantes do ensino médio, a grande evasão nesse nível de ensino e a limitação dos programas de financiamento e de bolsas aos estudantes (que tem impacto maior no setor privado, mas também afeta o setor público).
Pensar que é possível ter um ensino superior de Primeiro Mundo com um ensino básico de Terceiro é a mesma coisa do que começar treinar pessoas somente a partir dos 20 anos para que elas se tornem atletas olímpicos de sucesso. Sem uma formação ampla e de base nenhum país terá sucesso nas Olimpíadas. O mesmo se dá com a educação.

sexta-feira, 17 de agosto de 2012

domingo, 22 de julho de 2012

Mangue

O manguezal é considerado um ecossistema costeiro de transição entre os ambientes terrestre e marinho. Característico de regiões tropicais e subtropicais, está sujeito ao regime das marés, dominado por espécies vegetais típicas, às quais se associam a outros componentes vegetais e animais.

O ecossistema manguezal está associado às margens de baías, barras, enseadas, desembocaduras de rios, lagunas e reentrâncias costeiras, onde haja encontro de águas de rios com a do mar, ou diretamente expostos à linha da costa. A cobertura vegetal, ao contrário do que acontece nas praias arenosas e nas dunas, instala-se em substratos de vasa de formação recente, de pequena declividade, sob a ação diária das marés de água salgada ou, pelo menos, salobra.

Mesmo com uma variedade pequena de espécies o mangue ainda é considerado um dos ambientes naturais mais produtivos do Brasil devido às grandes populações de crustáceos, peixes e moluscos existentes, sendo um berçário para muitas espécies de animais.

Planta típica do Mangue

O mangue é composto por apenas três tipos de árvores (Rhizophora mangle – mangue-bravo ou vermelho, Avicena schaueriana – mangue-seriba ou seriúba – e Laguncularia racemosa– mangue-branco) que podem chegar a até 20 metros de altura em alguns lugares do país. Esse tipo de ecossistema se desenvolve onde há água salobra e em locais semi abrigados da ação das marés, mas com “canais” chamados gamboas que permitem a troca entre água doce e salgada. Seu solo é bastante rico em nutrientes e matéria orgânica com características lodosas e, composto por raízes e material vegetal parcialmente decomposto (turfa).

Raízes escora de planta do mangue

O Brasil possui a maior faixa de mangue do planeta com cerca de 20 mil km² que se estendem desde o nordeste (Cabo Orange – Amapá) até o sul do país (Laguna – Santa Catarina). Os manguezais também são encontrados na Oceania, África, Ásia e outros países da América.

A exploração comercial do mangue começou na Ásia se expandindo para os outros países de clima tropical e subtropical e se tornando uma das principais ameaças para esse ecossistema. Na Tailândia, por exemplo, mais da metade da área de mangue foi destruída por causa da super-exploração. Assim como nas Filipinas, onde os mangues foram reduzidos a 110,000 hectares (dos 448.000 originais).


sexta-feira, 20 de julho de 2012

Intensivo ENEM - Bio Mais

Preocupado com o ENEM? Então se você ainda não se matriculou a hora é essa, ainda dá tempo! Ainda mais agora que BioMais Isolada vem com tudo com um preparatório intensivo para o ENEM!!! Quer ver seu nome lá no listão? Então corre pra BIOMAIS ISOLADA!!!!


Rio +20 - Revista Quanta Nº 5

Depois de muito se falar na mídia sobre a Convenção do Rio+20 estou disponibilizando um artigo da Revista Quanta para tirar possíveis dúvidas sobre esta importante reunião.


Rio+20 click aqui

quinta-feira, 12 de julho de 2012

4º simpósio Hipertexto Tecnologias na Educação

Gostaria de divulgar o 4º simpósio Hipertexto e Tecnologia na Educação no qual irei apresentar um trabalho sobre este blog junto a Deise France @DeiseFrance e com Auxiliadora Padilha @dorapadilha.


quinta-feira, 5 de julho de 2012

Evolução das plantas

Poucos livros tratam da origem dos organismos fotossintetizantes. Neste texto aponto as teorias que discutem a origem desses organismos fotossintetizantes. Para o presente texto utilizei o livro: Biologia vegetal de Eurico Cabral editora EDUSP.
Os primeiros seres vivos que deram origem as plantas são desconhecidos. Mas teriam sido seres unicelulares capazes de realizar fotossíntese e viviam dentro do mar, se deslocando dentro de massas de água que os carregavam, e possivelmente desenvolveram sensores captadores e direcionadores ao foco de luz para realizar a fotossíntese.
De acordo com a biologia molecular os eucariotos se dividiram em diversas linhagens filogenéticas; Animais, (metazoários invertebrados e vertebrados), fungos, plantas (com clorofila A e B, terrestres e algas verdes), algas vermelhas e estramenopilas ( algas pardas, diatomáceas e outras algas com clorofila A e C).
Segundo o botânico alemão Schimper em 1883, os eucariotos surgiram de endossimbioses múltiplas. No caso da mitocôndria, um protozoário primitivo fagocitou uma bactéria aeróbica e por algum problema enzimático a associação teria sido vantajosa para ambos, as bactérias fagocitadas foram reduzindo, diferenciações de lamelas formam ganhando invaginações da membrana plasmática até se transformarem nessas estruturas nas quais conhecemos hoje.
Essa teoria foi formalizada por Altmann em 1890 e em seguida Mereschkowsky em 1905 afirmou que um procedimento semelhante teria ocorrido com os cloroplastos. Pode-se dizer que as plantas eucariotas podem ser fruto de uma polissimbiose, ou seja, formado por organismos quadrigênomicos, um genoma nuclear do organismo fagocitante e mais três genomas bacterianos: aeróbicos, cianobacterias e espiroquetas. As células clorofiladas teriam surgido de forma autógena, com mudanças graduais em um processo evolutivo lento. As primeiras algas a surgirem foram as Cianobacterias e Proclorofitas estritamente procariotas, posteriormente com a origem dos eucariotos surgiram os outros grupos de algas que são estritamente eucariotas.
Talvez o primeiro avanço na complexidade das plantas tenha sido dado pela formação de indivíduos pluricelulares. A pluralidade nas plantas ainda é um mistério para a ciência, mas algumas hipóteses podem explicar esse primeiro passo.
As primeiras colônias podem ter surgido com a não separação das células filhas após a divisão celular. As células filhas ficaram retidas em uma bainha de mucilagem que envolvia a célula mãe. Isso é uma forte evidencia levando em consideração que em algumas colônias isso realmente acontece. As células são mantidas unidas por uma matriz gelatinosa. Em algumas colônias o número de célula não aumenta com o tempo, essas colônias em que o numero de células é mantido o mesmo do inicio ao fim recebem o nome de cenóbio. Formar colônias pode ser vantajoso em relação a indivíduos isolados.
Muitas vezes é difícil saber se formam realmente uma colônia uma vez que eles podem se apresentar de forma intermediaria, sendo difícil saber se realmente são coloniais ou se apenas estão aglomerados
Alguns representantes ainda vivos parecem demonstrar exemplos dessa transição de unicelular para a pluricelularidade. O Gonium é uma alga verde e apresenta uma colônia simples onde todas as células são iguais e totipotentes.

Gonium sp
Partindo deste ponto não é difícil imaginar que a partir daí a multicelularidade possa ter surgido permitindo a formação de estruturas com morfologias mais variadas, desde as mais comuns nas algas se destaca a formação de filamentos multisseriados passando por diversos tamanhos e formas até estruturas com vários metros de distância. Essa transformação de uma estrutura em forma de talo até estruturas multicelulares pode ter favorecido esses indivíduos quanto a seu metabolismo, aumentando significativamente seu tamanho e favorecendo a fotossíntese.

sábado, 30 de junho de 2012

Questão Bio Mais - 2012

(Bio Mais – 2012) Observe a tirinha abaixo:

Disponível em www.humorcomciencia.blogspot.com


As tênias também são chamadas de "solitárias", porque, na maioria dos casos, o portador traz apenas um verme adulto. Existem características que beneficiam o hábito e a reprodução desse parasita, são elas:
a)      As tênias são vermes parasitas intestinais capazes de resistir as variações de pH das sucos digestivos o que auxilia na absorção dos nutrientes pelo verme que são digeridos pelo hospedeiro,  também ajudam  na reprodução, pois as enzimas do trato digestivo ajudam a maturar as proglótides que são liberadas no solo.
b)      Por realizarem autofecundação, por serem hermafroditas, liberam suas proglótides grávidas com ovos no solo que é uma forma eficaz de completar o ciclo de vida da tênia pois dessa forma poderá contaminar outras pessoas.
c)       O boi e o porco são seus hospedeiros que liberando suas fezes no solo dão continuidade ao ciclo de vida contaminando o homem que ao pisar de pés descalços é facilmente contaminado, onde o verme chega na fase adulta dióica.
d)      A tênia possuem duas espécies Taenia solium  e Taenia saginata , apenas a T. solium pode ser chamada de solitária (Solange) pois é hermafrodita e realizam autofecundação já a T. saginata é uma espécie dióica.
e)      As tênias são hermafroditas capazes de autofecundação, através de suas proglótides grávidas nas regiões mais afastadas do escólex, liberam uma grande quantidade de ovos que saem junto com as fezes do hospedeiro.