sábado, 30 de abril de 2011

Animal Planet - Parasitas Assassinos





sábado, 23 de abril de 2011

Superbactérias



Estava comentando em sala de aula outro dia sobre as superbactérias e o uso indiscriminado de antibióticos, desde a faculdade que eu discuto o uso, a venda e a prescrição de antibióticos por pacientes e médicos, que podem levar a sérios problemas de saúde pública. O reflexo disso está na matéria do JC logo abaixo.

Quatro pacientes infectados pela superbactéria morrem em Pernambuco
Publicado em 02.12.2010, às 09h57
Do JC Online


A Secretaria Estadual de Saúde (SES) confirmou nesta quinta-feira (2) a morte de quatro pacientes infectados com a superbactéria(KPC).

A Agência Pernambucana de Vigilância Sanitária (Apevisa) reconhece a KPC como a causa de apenas um destes óbitos: “É importante ressaltar que desses cinco óbitos, apenas um foi comprovadamente provocado pela KPC. Sobre os outros três, não há como definir se a morte foi causada pela bactéria, pois, apesar de infectados, eles já apresentavam um quadro de saúde bastante agravado por outros tipos de infecções. Já o quinto paciente, estava colonizado pela bactéria (não apresentou infecção), por isso, podemos afirma que o óbito não tem relação com a KPC”, declarou o gerente-geral Jaime Brito.

Com estas, sobe para 5 o número de mortes de pessoas diagnosticadas com a superbactéria. Também foram confirmados mais 8 casos em hospitais pernambucanos, totalizando 35 ocorrências.

O quadro da superbactéria em Pernambuco é o seguinte: 26 pacientes continuam internados, quatro receberam alta e cinco faleceram. Os casos estão distribuídos em 18 hospitais do Estado, 24 doentes estão em atendimento em hospitais privados e 11 em unidades públicas.

Fonte: JC online

Mas o que são super bactérias?

O uso indiscriminado (abusivo) dos antibióticos desde sua industrialização promoveu uma seleção natural das bactérias patogênicas (causadoras de doenças). Por isso as populações atuais desses micróbios são bastante resistentes aos medicamentos. Muitas vezes torna-se quase impossível combatê-las e para tanto é preciso usar antibióticos tão poderosos que causam problemas ao próprio paciente, como danos ao fígado ou tecido ósseo.

Os dentes por serem de natureza óssea costumam ser muito afetados, principalmente nas crianças antes da mudança da dentição. Isso acontece porque os dentes definitivos ainda estão em formação, daí a maior sensibilidade aos antibióticos.

Mas por quê? O tempo de ação irá depender de vários fatores , normalmente não considerados pelo leigo. Se a pessoa ingere uma penicilina ou uma amoxilina por 3 ou 4 dias, quando normalmente passam os sintomas, não cumpriu o tempo necessário para "destruir" as supostas bactérias, logo se transformou num criadouro de superbactérias (aquelas da seleção natural). E esse mesmo cidadão sai espirrando por aí.


A ingestão indiscriminada de antibióticos é um dos maiores crimes que se pode cometer contra a humanidade. Cada vez que um de nós toma remédios por automedicação ou interrompe o tratamento está criando a oportunidade para novas doenças se desenvolverem na população. Um exemplo clássico é a TMR ou Tuberculose multirresistente, um tipo de tuberculose na qual o bacilo é tão resistente que nenhuma droga conhecida consegue atacá-lo com eficiência. Normalmente a doença se desenvolve porque a pessoa não ingeriu a medicação o tempo correto (oito meses). A interrupção do tratamento se dá quando cessam os sintomas, mas enquanto isso o bacilo vai se multiplicando com uma resistência muito maior.
Divulgue este alerta, é importante. As pessoas que utilizam medicamentos sem orientação médica não sabem que podem mascarar a verdadeira doença ou piorá-la. Uma gripe, por exemplo, não é motivo para ingerir antibióticos, a receita caseira ainda é o melhor remédio: vitamina C e cama!

fonte: Escola de Mestres

Felizmente de um tempo pra cá foi baixada um portaria do ministério da saúde que diz que os antibióticos devem ser vendidos com retenção de receita médica, ou seja só tome antibiótico sob prescrição do seu médico.

sexta-feira, 22 de abril de 2011

O coração

Esse vídeo mostra detalhes do coração batendo em alta definição, suas estruturas internas e o impulso nervoso (elétrico) que controla a rítmica do batimento do miocárdio.



quinta-feira, 21 de abril de 2011

Emissões de gases do efeito estufa crescem 58% em SP



As emissões de gases de efeito estufa no Estado de São Paulo cresceram 58%, entre 1990 e 2008, considerando as emissões de um dos principais gases, o CO2 (dióxido de carbono).

Os dados constam do primeiro inventário estadual de emissões antrópicas de gases de efeito estufa, apresentado na manhã desta quarta-feira (20) pela Cetesb (Companhia Ambiental do Estado de São Paulo).

Além do CO2, o inventário também estima as emissões de gases como C4 (metano), N2O (óxido nitroso), HFC (hidrofluorcarbonos), PFC (perfluorcarbonos) e SF6 (hexafluoreto de enxofre). Também foram incluídas informações sobre as emissões antrópicas de gases que influenciam as reações químicas que ocorrem na atmosfera.

O levantamento somou as emissões de cinco grandes áreas do Estado.

O setor energético é o maior poluidor. Ele contribui com 57,2% das emissões. Todo tipo de transporte, por exemplo, está inserido nesta conta.

Agropecuária (21,3%), Indústria (14,7%) e Lixo (6,7%) também sujam a atmosfera do Estado.

O setor de uso e ocupação do solo é o único que retirou gases da atmosfera em vez de emitir. Isso ocorreu, principalmente, por causa das chamadas floresta plantadas (pinus e eucalipto) e não pelo renascimento da matas originais do Estado.

O inventário estadual mostra grandes diferenças em relação ao cenário nacional. No Brasil, o desmatamento da Amazônia (uso e ocupação do solo) é o grande vilão. Enquanto em São Paulo, esse título vai para o setor energético. (Fonte: Eduardo Geraque/ Folha.com)

Fonte: Ambiente Brasil

domingo, 17 de abril de 2011

Guia RPPN


Esse guia será muito para quem quiser tranasformar uma área verde (resquício de algum ecossistema importante) em uma Reserva Particular do Patrimônio Natural, RPPN, ele lhe dará todos os passos para a criação da Reserva.


Download - aqui


Aproveitem e façam bom uso...

domingo, 10 de abril de 2011

Livros (Apostilas de Biologia)


Pessoal pretendo disponibilisar alguns livros e apostilas que eu tenho em PDF ao longo dessa semana para facilitar a vida de quem interessar.

Pra começar disponibilizo três apostilas de Biologia da Professora Amara Maria Pedrosa Silva da ESCOLA DR. PEDRO AFONSO DE MEDEIROS - EPAM do município de Palmares - PE

Livro 1 - 1° ano do ensino médio

Livro 2 - 2° ano do ensino médio

Livro 3 - 3° ano do ensino médio

Apoio: sendspace.com

Saúde e indústria assinam acordo para reduzir teor de sódio em alimentos



Na data de comemoração do Dia Mundial da Saúde, o governo federal reforça ações para a promoção de hábitos de vida saudáveis. O termo de compromisso – assinado nesta quinta-feira (7) pelo ministro da Saúde, Alexandre Padilha, e pelas associações que representam os produtores de alimentos processados – estabelece um plano de redução gradual na quantidade de sódio presente em 16 categorias de alimentos, começando por massas instantâneas, pães e bisnaguinhas.

O objetivo é reduzir o consumo excessivo de sal (cerca de 40% do sal é composto de sódio), que está associado a uma série de doenças crônicas, como hipertensão arterial, doenças cardiovasculares, problemas renais e cânceres. “Este acordo com a indústria alimentícia representa um passo fundamental para que seja atingida a recomendação de consumo máximo da Organização Mundial de Saúde (OMS), que é de menos de 5 gramas de sal diários por pessoa, até 2020”, diz o ministro Padilha.

O documento define o teor máximo de sódio a cada 100 gramas em alimentos industrializados. Algumas metas devem ser cumpridas pelo setor produtivo até 2012 e aprofundadas até 2014. No caso das massas instantâneas, a quantidade fica limitada a 1.920,7 miligramas (ou 1,9 grama), até 2012. Isso representa uma diminuição anual de 30%.

Nos pães de forma, o acordo prevê redução do teor máximo de sódio para 645 miligramas, até 2012, e para 522 miligramas, até 2014; enquanto que, nas bisnaginhas, o limite será de 531 e 430 miligramas, nas mesmas datas. Essas metas estabelecidas correspondem a uma redução de 10% ao ano.

Está previsto, também, o estabelecimento de metas, ainda em julho deste ano, para o pão francês, os bolos prontos, as misturas para bolos, os salgadinhos de milho e as batatas fritas. Até o fim de 2011, será a vez dos biscoitos (cream cracker, recheados e maisena), embutidos (salsicha, presunto, hambúrguer, empanados, lingüiça, salame e mortadela), caldos e temperos, margarinas vegetais, maioneses, derivados de cereais, laticínios (bebidas lácteas, queijos e requeijão) e refeições prontas (pizza, lasanha, papa infantil salgada e sopas).

Segundo dados da Pesquisas de Orçamentos Familiares (POF) 2002/03, o consumo individual de sal, apenas nos domicílios brasileiros, foi de 9,6 gramas diários, o que representa quase o do dobro do recomendado pela OMS.

ESFORÇO CONJUNTO – O acordo estabelecido entre o Ministério da Saúde e a Associação Brasileira das Indústrias de Alimentação (Abia), Associação Brasileira das Indústrias de Massas Alimentícias (Abima), Associação Brasileira da Indústria do Trigo (Abitrigo) e a Associação Brasileira da Indústria de Panificação e Confeitaria (Abip) é mais um resultado positivo da articulação e do esforço entre governo e indústria para aperfeiçoar a qualidade dos produtos disponíveis no mercado, como já ocorre no caso das gorduras trans. Essas ações integram o Fórum de Alimentação Saudável e mostra a preocupação do Ministério da Saúde com os padrões alimentares dos brasileiros.

Entre 2007 e 2010, um acordo entre o Ministério da Saúde e a Abia conseguiu retirar cerca de 230 mil toneladas de gordura trans ao ano dos alimentos processados. Estudo feito pela associação, em parceria com o governo federal, revelou que 94,6% das empresas ligadas à entidade, alcançaram a meta estabelecida em 2007, que limita a 5% de presença de gordura trans do total de gorduras em alimentos industrializados e 2% do total de gorduras em óleos e margarinas.

Para o presidente da Abia, Edmundo Klotz, o acordo representa "um compromisso entre governo federal e indústria para reunir esforços e trabalhar conjuntamente em ações de fomento à alimentação saudável, equilibrada e nutricionalmente adequada. Desta forma, a indústria se propõe a reduzir gradualmente o uso do sódio em seus produtos a fim de promover melhor qualidade de vida à população".

No termo de compromisso, o Ministério da Saúde, em parceria com a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), compromete-se a elaborar o Plano Nacional de Redução do Consumo de Sal, a monitorar o teor de sódio nos alimentos processados, a acompanhar as tendências de consumo alimentar da população e a avaliar o impacto da redução desse consumo nos custos do Sistema Único de Saúde e na incidência de doenças crônicas.


ACORDO ABRAS – O ministro Alexandre Padilha também assinou acordo com a Associação Brasileira de Supermercados (Abras) e com a Anvisa, que vão constituir um grupo de trabalho conjunto para definir ações de proteção à saúde e para a promoção de estilos de vida saudáveis entre consumidores e trabalhadores do setor.

Entre as medidas a serem adotadas, está a adoção de campanhas informativas para o consumo consciente, para a promoção da alimentação saudável e da prática de atividade física, para o controle do tabagismo e a redução do uso abusivo de álcool e outras drogas, para a redução de acidentes de trânsito e estímulo à cultura da paz.

O acordo estabelece, também, o fomento a programas de atualização dos trabalhadores envolvidos com manipulação, fiscalização e produção de alimentos nestes estabelecimentos e a adoção de políticas internas de controle da qualidade de matérias-primas e seleção de fornecedores.

Fonte: Sociedade Brasileira de Hipertensão

sábado, 9 de abril de 2011

Hipertensão


Nesses últimos tempos tenho ficado admirado como o número de crianças e adolescentes com doenças como hipertensão e diabetes tem aumentado muito, volta e meio descubro que um dos meus alunos tem alguma dessas doenças, alunos com 12 ou 13 anos. Por isso que estou publicando alguns artigos básicos sobre hipertensão e diabetes.

O que é hipertensão?
Hipertensão, usualmente chamada de pressão alta, é ter a pressão arterial, sistematicamente, igual ou maior que 14 por 9. A pressão se eleva por vários motivos, mas principalmente porque os vasos nos quais o sangue circula se contraem.

O coração e os vasos podem ser comparados a uma torneira aberta ligada a vários esguichos. Se fecharmos a ponta dos esguichos a pressão lá dentro aumenta. O mesmo ocorre quando o coração bombeia o sangue. Se os vasos são estreitados a pressão sobe.

Quais são as conseqüências da pressão alta?

A pressão alta ataca os vasos, coração, rins e cérebro. Os vasos são recobertos internamente por uma camada muito fina e delicada, que é machucada quando o sangue está circulando com pressão elevada. Com isso, os vasos se tornam endurecidos e estreitados podendo, com o passar dos anos, entupir ou romper. Quando o entupimento de um vaso acontece no coração, causa a angina que pode ocasionar um infarto. No cérebro, o entupimento ou rompimento de um vaso, leva ao "derrame cerebral" ou AVC. Nos rins podem ocorrer alterações na filtração até a paralisação dos órgãos. Todas essas situações são muito graves e podem ser evitadas com o tratamento adequado, bem conduzido por médicos.


Quem tem pressão alta?

Pressão alta é uma doença "democrática". Ataca homens e mulheres, brancos e negros, ricos e pobres, idosos e crianças, gordos e magros, pessoas calmas e nervosas.

A Hipertensão é muito comum, acomete uma em cada quatro pessoas adultas. Assim, estima-se que atinga em torno de, no mínimo, 25 % da população brasileira adulta, chegando a mais de 50% após os 60 anos e está presente em 5% das crianças e adolescentes no Brasil. É responsável por 40% dos infartos, 80% dos derrames e 25% dos casos de insuficiência renal terminal. As graves conseqüências da pressão alta podem ser evitadas, desde que os hipertensos conheçam sua condição e mantenham-se em tratamento com adequado controle da pressão.


Fonte: Sociedade Brasileira de Hipertensão

quarta-feira, 6 de abril de 2011

Exercícios para o cérebro parte 3


A FÓRMULA PARA SER MAIS INTELIGENTE
A ciência vem buscando o segredo da inteligência, "cá pra nós," todos procuram este mesmo segredo, em particular os estudantes. Ah! como seria maravilhoso poder tomar uma pílula e imediatamente ter um ataque de inteligência. A pílula ainda não foi descoberta, mas enquanto isso não acontece podemos utilizar uma fórmula simples e eficaz.

" 30 minutos de exercícios aeróbicos três vezes por semana é o suficiente para aumentar em 15% a capacidade de concentração e aprendizado."

"Estudos recentes feitos na Tufts University, comprovaram que quem se alimenta de frutas, cereais e iogurte no café da manhã mostram maior capacidade de memória espacial do que as pessoas com o hábito de alimentar-se com sanduíches, salgadinhos e refrigerantes, que são pobres em nutrientes, especialmente os minerais, que têm papel importante no rendimento cerebral. A memória espacial é importantíssima para a solução de problemas matemáticos."

"Uma ou duas horas extras de sono propicia uma melhor performance em atividades como provas. Uma boa quantidade de sono aliada a uma melhor qualidade de sono aumenta a capacidade de concentração."

"Ler temas interessantes e novos equivalem a um poderoso exercício para a memória."

O médico e pesquisador Dr. Ivan Izquerdo, diretor do Centro de Memória da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, diz que "a qualidade do que se lê importa mais que a quantidade, porque gostar do assunto gera interesse." O desinteresse pela leitura funciona como um sedativo fazendo com que a memória funcione mal. Ouvir música e tentar lembrar a letra também é muito eficiente."

Exercitar a memória equivale a exercitar o músculo do corpo se não exercitá-la ela atrofiará.

Enquanto não se produz a pílula da inteligência aproveite as orientações para melhorar a qualidade do seu cérebro e "boas práticas"

Nanci Azevedo Cavaco

Exercícios para o cérebro parte 2


DISCIPLINA - A RECEITA DO SUCESSO
Você é daqueles que sofre por não conseguir estudar? Que se sente culpado por não priorizar os estudos? Então leia com atenção essa matéria.

Entre as várias atitudes importantes para quem deseja realizar um objetivo,concluir um trabalho e naturalmente para quem estuda para concurso, talvez a mais importante seja a DISCIPLINA, não a disciplina no sentido da matéria a ser estudada, mas sim aquela disciplina que o fará ser alguém que não se desvia de seus objetivos, que não se distraí com a televisão, e nem fica "enrolando" quando deveria estar estudando.

Muitas pessoas iniciam o ano com dezenas de projetos: estudar, emagrecer, iniciar um novo curso, fazer um concurso público e muitos outros projetos que acabam ficando no meio do caminho. A razão para o fracasso desses propósitos é a falta de disciplina, sem ela dificilmente você conseguirá chegar a algum lugar, muito menos passar num concurso, já que para alcançar esse objetivo é necessário dedicar-se de verdade.

Mas como desenvolver essa habilidade fundamental para quem deseja realizar seus sonhos? Alguns dizem que basta ter força de vontade, isso parece bem evidente, mas colocar a disciplina em prática não é tão simples como parece na teoria.

Quem é disciplinado consegue manter os propósitos em situações adversas. Quando pensa em desistir, reforça as energias e trabalha mais ainda. A boa notícia é que você pode treinar e assim se tornar disciplinado. Então vamos aprender a desenvolver a disciplina.

Como desenvolver a disciplina:

Aceitação

Chega de se auto-enganar! Pare de ignorar os problemas, achando que eles irão desaparecer sozinhos. Para ter disciplina em alguma área da sua vida, você deve primeiro aceitar que precisa melhorar. Se você quer ter disciplina para estudar, primeiro você deve aceitar que precisa estudar melhor para obter resultados melhores.

Em muitos casos, o candidato faz a prova, obtém um péssimo resultado e se considera incompetente, além disso, desenvolve a idéia de que passar em concurso é algo impossível. A verdadeira questão é: O resultado é proporcional ao tempo e modo de preparação. O indivíduo indisciplinado terá um mal resultado por não ter levado a sério sua preparação e não por ter incapacidade.

Você deve ter convicção de que precisa melhorar em algum aspecto e de que a disciplina te ajudará. Não basta apenas saber que precisa estudar melhor, precisa saber quanto tempo estuda atualmente em relação ao tempo de fato suficiente e qual é a qualidade de seus estudos, etc.

Visualize o problema, aceite-o e identifique como enfrentá-lo.

você deve conhecer seu problema com detalhes para que o trabalho sobre ele seja eficaz, e assim desenvolver uma solução. Desse modo você não se sobrecarrega e pode desenvolver sua disciplina aos poucos, que é a forma mais eficiente.

Emoção

Controle seus impulsos, aja de acordo com seus propósitos, em vez de seguir suas emoções. Saiba fazer a coisa certa, no momento certo, mesmo quando gostaria de fazer justamente o contrário.

Administre seu tempo

Planeje seus dias, siga seus planos, estabeleça prioridades. Tudo é importante, mas nem tudo é prioridade. Pense nas coisas que você tem se proposto a fazer mas que ainda não deu nem o primeiro passo. Pense nas seguintes questões:

1. Qual o motivo para não ter colocado em prática algo que tanto quer?

2. O que o impede? Pra que você se impede de realizar seu objetivo? Esteja consciente de que só você mudar sua atitude.

A disciplina é uma qualidade comum às pessoa realizadoras e bem-sucedidas. Ela torna as pessoas livres, autoconfiantes, produtivas. Contudo, para alcançar este estado realizador é preciso praticar disciplina.

Em termos práticos,uma das formas de aquisição da disciplina é através da prática de atividades que estimulam a concentração,um exemplo é a meditação.

Ao concentrar a atenção na respiração ou em uma imagem, os praticantes fortalecem a região pré frontal e frontal do cérebro. Pessoas que meditam ficam com a massa cinzenta mais densa nessa região. Essa prática também favorece a redução da deterioração natural dessa área do cérebro. Outros fatores que ocorrem através da prática da meditação são:

» Ondas cerebrais do tipo gama ficam mais sincronizadas. Isso melhora a capacidade de concentração nas atividades cotidianas.

» A meditação é mais eficiente que o sono para restaurar a comunicação entre os neurônios.

Exercício de meditação básico:

1) Foque em uma palavra, frase curta, som ou oração.
2) Sente-se em silêncio e numa posição confortável.
3) Feche os olhos.
4) Relaxe os músculos, dos pés à cabeça.
5) Respire devagar e naturalmente. Ao mesmo tempo, diga sua frase, som ou palavra silenciosamente, para você mesmo.
6) Tenha uma atitude passiva. Não se preocupe se está indo bem. Quando outro pensamento vier à mente, retorne com calma a seu tema de repetição .
7) Concentre-se assim por pelo menos dez a 20 minutos.
8) Não se levante imediatamente. Continue sentado e em silêncio por algum tempo, permitindo que outros pensamentos retornem. Só então abra os olhos.

Uma outra dica importante é evitar a auto sabotagem, que muitas vezes impede a pessoa de desenvolver a disciplina, então identifique o que melhor funciona para você , um grande abraço e boas práticas.

Nanci Azevedo Cavaco

terça-feira, 5 de abril de 2011

Inteligência, Criatividade e Emotologia


Hormônios e Motivação - O Segredo do Segredo

Muito se tem escrito e falado sobre motivação, com várias teorias sobre o assunto: Maslow, Herzberg, McClelland e muitos outros. Podemos mesmo afirmar que é um tema recorrente, principalmente nas áreas de educação e corporativa. Das mais de trinta teorias sobre o assunto, quase nenhuma toca nas raízes do que realmente leva o ser humano à ação. Mas agora acreditamos ter chegado ao âmago da questão, com os estudos de Emotologia.

“Emotologia” e “motivação” acham-se irmanadas pela origem latina, do verbo movere, (Pronuncia-se /movére/, pela pronúncia tradicional do latim), “mover”, “pôr em ação”). Realmente, a motivação depende de que toquemos nos motivos, isto é, naquilo que leva a pessoa a agir. “Motivar” é, na verdade, chegar até onde surgem os motivos da pessoa, vale dizer, ao sistema de autopreservação e preservação da espécie (SAPE), que é o resultado da interação dos sistemas das emoções, com destaque para o sistema límbico, no cérebro, com o sistema glandular endócrino, cujas secreções (hormônios) são lançadas diretamente na corrente sanguínea.

Então, quando se fala em “motivar” (de “motivo”, isto é, “aquilo que move”) levando-se em conta o sentido mais profundo desta palavra, temos de pensar em como fazer chegar ao SAPE aquilo que queremos alcançar ou fazer com que outras pessoas alcancem. Eis aqui o aspecto de Emotologia e liderança.

Na verdade, ninguém motiva ninguém, sem que as mensagens atinjam o mecanismo que produz a motivação, isto é, o SAPE.

Também quando falamos em “motivação, temos de levar em consideração os hormônios. A palavra “hormônio” vem do particípio presente do verbo grego horman, “levar, impulsionar para a ação”, o qual, por sua vez, vem de horme, “impulso”. Assim, a motivação verdadeira pertence ao império dos hormônios. Nós, antes de sermos racionais, somos “hormonais”, principalmente quando se trata de atacar ou fugir, de ter garra, de ter disciplina para conquistar o que se queira, para vencer dificuldades, para ultrapassar obstáculos, para superar adversidades. Muita gente se pergunta de onde determinadas pessoas, atingidas por sérios problemas, tiram forças para a superação. A resposta é: do SAPE. O mais importante é que podemos aprender a mobilizar o SAPE para nos ajudar a atingir objetivos e a superar adversidades, transpor obstáculos para atingir objetivos de SER ou TER.
O SAPE pode ser considerado o “deus interno”, as estruturas do cérebro (sistema nervoso central - SNC) e do sistema glandular endócrino, as quais, quando mobilizadas, são capazes de realizar milagres. Assim como existe o SAPE, milagres existem. A Emotologia, em um de seus capítulos, trata da comunicação com o SAPE, da mesma forma que o ser humano se comunica com Deus pela oração. Aprender a se comunicar corretamente com o SAPE é o maior dos segredos. O segredo do segredo.

*Professor Luiz Machado, Ph.D.
Cientista Fundador da Cidade do Cérebro®
Mentor da Emotologia.

fonte: Cidade do Cérebro

Exercícios para o cérebro


APRENDA MAIS DORMINDO
Durante os treinamentos freqüentemente me perguntam sobre tipos de medicamentos eficientes para reduzir a quantidade do sono. Alguns até falam de receitas "milagrosas" indicadas na "rádio corredor" dos cursos preparatório. Confesso que o que ouço nesses comentários, me deixa bastante preocupada. Fico pensando quantas "loucuras" algumas pessoas são capazes de fazer por pura falta de informação e desespero.

Em artigos anteriores já comentei sobre a importância de uma noite BEM dormida para um aprendizado de qualidade, para uma boa memória,boa atenção e para a concentração.Para aqueles que pensam que "varar a madrugada" estudando vai lhe garantir uma melhor condição de aprendizagem,aí vai uma informação valiosa: A partir do momento em que anoitece o organismo começa a preparar as condições adequadas para a produção da melatonina (substância produzida pela glândula pineal,que favorece a indução do sono). Ás 21h. a produção dessa substância é intensificada ,desse modo, quando se troca uma boa noite de sono por horas de estudos durante a madrugada o resultado final é uma capacidade de raciocínio comprometida e um baixo desempenho cognitivo(baixa capacidade de aprendizagem). Com a freqüência dessa prática aumenta-se a tendência a distração, a dificuldade de concentração, taquicardia e alteração do humor e um aumento de ansiedade.

Segundo pesquisas mais recentes, uma noite de sono qualitativa é tão ou mais importante do que uma noite de sono quantitativa, contudo, durante o sono ocorre a fixação da memória intelectual.


A DIETA ESPERTA PARA SEU CÉREBRO
O cérebro humano é uma estrutura complexa fundamental para a nossa sobrevivência e evolução da inteligência. Esse sistema fantástico trabalha 24 horas e pode se manter ativo por muitos anos. O cérebro pode processar 126 informações por segundo, ou seja, 7560 por minuto.

A capacidade de retenção de informações na memória ao longo da vida pode chegar ao equivalente a 20 milhões de livros de 500 páginas. Esse manancial de recursos proporciona ao homem capacidade criativa que contribuiu para que a humanidade evoluísse em vários seguimentos.

Para manter o cérebro sempre ativo é importante cuidados com a alimentação, dando preferência a uma dieta com nutrientes ricos em vitaminas A, B1,B6, B12, além da vitamina E e C. Essas vitaminas protegem as membranas das células contra os radicais livres que são determinantes para a vitalidade dos neurônios. Os alimentos ricos em antioxidante contribuem na produção de inúmeros neurotransmissores, melhorando a função cognitiva. Você encontrará a propriedades antioxidantes no caju, na castanha, na linhaça e peixes como sardinha, salmão e atum.

Uma dieta esperta contém:

» Peixes com ômega-3.
» Alimentos com antioxidantes.
» Carboidratos.
» Proteínas.
» Ácido fólico.
» Água.

Inclua na sua dieta minerais como o magnésio, o selénio e o zinco e os aminoácidos fenilalanina, glutamina, metionina, arginina e triptofano.

Cuidado com alimentos com alto teor de gordura, seu excesso prejudica a circulação sanguínea no cérebro e produz radicais livres que desgastam prematuramente as células nervosas dificultando as funções cognitivas como a concentração, a memória e o raciocínio.

Pratique atividades físicas, principalmente exercícios aeróbicos que estimulam a função cardiovascular.

Cuide bem do seu cérebro e o mantenha ativo por muito tempo.

Nanci Azevedo Cavaco

fonte: Academia do Cérebro

domingo, 3 de abril de 2011

Diabetes


Diabetes Gestacional

Introdução

Na gravidez, duas situações envolvendo o diabetes podem acontecer: a mulher que já tinha diabetes e engravida (leia mais a respeito) e o diabetes gestacional. O diabetes gestacional é a alteração das taxas de açúcar no sangue que aparece ou é detectada pela primeira vez na gravidez. Pode persistir ou desaparecer depois do parto.


Diabetes Tipo 1

Introdução

O diabetes Tipo 1 (DM1) é uma doença auto-imune caracterizada pela destruição das células beta produtoras de insulina. Isso acontece por engano porque o organismo as identifica como corpos estranhos. A sua ação é uma resposta auto-imune. Este tipo de reação também ocorre em outras doenças, como esclerose múltipla, Lupus e doenças da tireóide.

A DM1 surge quando o organismo deixa de produzir insulina (ou produz apenas uma quantidade muito pequena.) Quando isso acontece, é preciso tomar insulina para viver e se manter saudável. As pessoas precisam de injeções diárias de insulina para regularizar o metabolismo do açúcar. Pois, sem insulina, a glicose não consegue chegar até às células, que precisam dela para queimar e transformá-la em energia. As altas taxas de glicose acumulada no sangue, com o passar do tempo, podem afetar os olhos, rins, nervos ou coração.

A maioria das pessoas com DM1 desenvolve grandes quantidades de auto-anticorpos, que circulam na corrente sanguínea algum tempo antes da doença ser diagnosticada. Os anticorpos são proteínas geradas no organismo para destruir germes ou vírus. Auto-anticorpos são anticorpos com “mau comportamento”, ou seja, eles atacam os próprios tecidos do corpo de uma pessoa. Nos casos de DM1, os auto-anticorpos podem atacar as células que a produzem.

Não se sabe ao certo por que as pessoas desenvolvem o DM1. Sabe-se que há casos em que algumas pessoas nascem com genes que as predispõem à doença. Mas outras têm os mesmos genes e não têm diabetes. Pode ser algo próprio do organismo, ou uma causa externa, como por exemplo, uma perda emocional. Ou também alguma agressão por determinados tipos de vírus como o cocsaquie. Outro dado é que, no geral, é mais freqüente em pessoas com menos de 35 anos, mas vale lembrar que ela pode surgir em qualquer idade.

Sintomas

Pessoas com níveis altos ou mal controlados de glicose no sangue podem apresentar:
• Vontade de urinar diversas vezes;
• Fome freqüente;
• Sede constante;
• Perda de peso;
• Fraqueza;
• Fadiga;
• Nervosismo;
• Mudanças de humor;
• Náusea;
• Vômito

Consultor: Dra. Claudia Pieper – Comitê Editorial do Site da SBD (Gestão 2006-2007)

Fontes: Norwood, Janet W. & Inlander, Charles B. Entendendo a Diabetes – Para educação do Paciente. Julio Louzada Publicações. São Paulo, 2000.

Diabetes de A a Z: o que você precisa saber sobre diabetes explicado de maneira simples. American Diabetes Association. JSN editora. São Paulo, 1998

Leia mais sobre Diabetes Tipo 1:

Equipamentos
Monitorização
Medicamentos

Diabetes Tipo 2

Sabe-se que o diabetes do tipo 2 possui um fator hereditário maior do que no tipo 1. Além disso, há uma grande relação com a obesidade e o sedentarismo. Estima-se que 60% a 90% dos portadores da doença sejam obesos. A incidência é maior após os 40 anos.

Uma de suas peculiaridades é a contínua produção de insulina pelo pâncreas. O problema está na incapacidade de absorção das células musculares e adiposas. Por muitas razões, suas células não conseguem metabolizar a glicose suficiente da corrente sangüínea. Esta é uma anomalia chamada de "resistência Insulínica".

O diabetes tipo 2 é cerca de 8 a 10 vezes mais comum que o tipo 1 e pode responder ao tratamento com dieta e exercício físico. Outras vezes vai necessitar de medicamentos orais e, por fim, a combinação destes com a insulina.

Principais Sintomas:

Infecções freqüentes;
Alteração visual (visão embaçada);
Dificuldade na cicatrização de feridas;
Formigamento nos pés;
Furunculose.

Outros tipos de Diabetes

Características Gerais

Existem outros tipos de diabetes além do Tipo 1, Tipo 2 e Gestacional, mas esses ocorrem com menor freqüência. São eles:

Diabetes Secundário ao Aumento de Função das Glândulas Endócrinas:

Em determinadas doenças glandulares, quando ocorre aumento de função a ação da insulina é de alguma maneira dificultada ou prejudicada, aparecendo diabetes em pessoas de alguma maneira predispostas. É o que pode ocorrer, por exemplo, com doenças da:

Tireóide (hipertiroidismo);
Supra-renal (doença de Cushing);
Hipófise (acromegalia ou gigantismo).
Também pode aparecer na presença de tumores de:

Sistema nervoso simpático (feocromocitoma);
Células alfa do pâncreas (glucagonoma).
Diabetes Secundário a Doenças Pancreática:

Nesse grupo, o diabetes ocorre mais freqüentemente naqueles com antecedentes familiares do Tipo 2.

Retirada cirúrgica de 75% do pâncreas;
Pancreatite crôúnica (inflamação geralmente causada pelo alcoolismo crônico);
Destruição pancreática por depósito de ferro denominado hemocromatose (extremamente rara).
Nesses casos, o diabetes está associado à diarréia com perda de gordura nas fezes, pois o pâncreas afetado extensamente também não produz enzimas digestivas suficientes.

Resistência Congênita ou Adquirida à Insulina

A produção de insulina está aumentada, porém com ação ineficaz por causa da diminuição ou defeito de receptores celulares (encaixes para insulina), em tecido gorduroso, músculo etc.

Essas anormalidades, quando congênitas, podem ser defeito dos receptores de insulina, presença de anticorpos anti-receptores.

Diabetes Associado à Poliendocrinopatias Auto-Imunes

Casos onde existem anticorpos anticélulas de ilhotas pancreática produtoras de insulina (Tipo 1). Destes, 20% apresentam anticorpos contra tireóide e(menos freqüentemente) anticorpos contra supra renal, mucosa do estômago, músculo e glândulas salivares, além da ocorrência de vitiligo, alopecia (intensa queda de cabelos), hepatite crôúnica, candidíase etc.

Diabetes Associado à Desnutrição e Fibrocalculoso

Ocorre em jovens de países tropicais com baixa ingestão protéica, freqüentemente associado a alimentos que contêm cianetos, como a mandioca amarga. Esta associação pode causar dano pancreático, com destruição das ilhotas e diminuição da produção de insulina.

Diabetes Relacionados à Anormalidade da Insulina (Insulinopatias)

A produção da insulina está aumentada, porém com alteração de sua estrutura molecular, não sendo assim eficaz. Aplicando-se insulina, controla-se o diabetes.

Diabetes Tipo LADA (Latent Autoimmune Diabetes in Adults)

O LADA caracteriza-se pelo surgimento tardio do Diabetes Mellitus do Tipo 1 e atinge entre 2 e 12% dos casos, ou seja, 1,4 milhão de pessoas no Brasil. Também conhecido como Diabetes Tipo 1.5 (Type one-and-a-half), o LADA costuma ser confundido com o do tipo 2.

A maior incidência concentra-se em pacientes entre 35 e 60 anos, magro e com cetose. O seu diagnóstico é feito pelo teste do anticorpo GAD. A hereditariedade do diabetes tipo 1, doenças de Hashimoto e Graves devem ser levadas em conta num histórico familiar. Atualmente, não há um consenso na literatura médica para o tratamento do LADA.

A manutenção do controle de glicemia é o principal objetivo do tratamento do portador do diabetes LADA. Um aspecto que deve ser levado em conta, refere-se a progressão lenta para a insulino-dependência, assim como um risco maior de complicações cardiovasculares para esses pacientes.


Pré-diabetes. O que é isso?

Como o título já sugere, este termo é usado para identificar as pessoas que possuem risco potencial de desenvolver o diabetes. É uma forma ou um estado intermediário entre a normalidade e o diabetes do tipo 2 no adulto. No entanto, sabe-se que nem todos irão deixar a condição de pré-diabético para se tornar um diabético. Mas, por precaução, são considerados em estado de risco para essa progressão.

Fatores de Risco

Existem fatores que são considerados de risco para o desenvolvimento do diabetes. Entre eles estão: o fator da idade (estar acima de 45 anos); o excesso de peso; o sedentarismo; a hipertensão arterial e as alterações nas taxas de colesterol e triglicérides sangüíneos e a história familiar de diabetes .

Isso serve para ambos os sexos. Mulheres que geraram filhos com mais de 4 kg ou que sejam portadoras de Síndrome dos Ovários Policísticos também têm risco aumentado.

Nesses casos, preconiza-se a realização da dosagem de glicemia de jejum ou a realização do teste oral de sobrecarga com glicose, para possível detecção de pré-diabetes ou mesmo diabetes.

A melhor maneira de identificar o pré-diabetes é através da dosagem da glicemia. Sua definição laboratorial dá-se quando a taxa de glicemia de jejum (mínimo de oito horas) encontra-se entre 100 e 125 mg/dl e/ou quando o valor de glicemia na segunda hora do teste de sobrecarga oral à glicose (também chamado de curva glicêmica) está entre 140 e 199 mg/dl (indivíduos classificados também como intolerantes à glicose).

A quantidade de pessoas que evoluem para o diabetes é parecida nos grupos que têm glicemia de jejum alterada e os que apresentam alterações nas taxas de glicemia na segunda hora do teste oral. No mais, apesar de ser raro, outros grupos que não apresentarem essas condições e nem fatores de risco,também podem desenvolver diabetes no futuro.

importante salientar que as pessoas que adquirem novos hábitos no estilo de vida - como a atividade física regular resultando na diminuição de 5 a 7% no peso corporal - ajudam a, no mínimo, retardar o aparecimento do diabetes.

Em grandes estudos realizados com indivíduos com pré-diabetes, tais medidas reduziram a taxa de novos casos em mais de 50% em um período de dois a cinco anos de acompanhamento. Essas mudanças ainda são benéficas para o estado de saúde geral, promovendo menor risco no desenvolvimento de outras doenças, especialmente cardiovasculares.

A busca pela perda de peso pode receber o auxílio de algumas medicações, no entanto, não devemos nos esquecer de que todas essas orientações devem ser realizadas pelo médico, analisando cada situação individualmente.

Ou seja, no geral existem muitas evidências de que o diabetes tipo 2 pode ser prevenido ou ter seu início retardado. Os indivíduos com pré-diabetes podem ser facilmente identificados. Alterações no estilo de vida, especialmente redução moderada do peso e aumento da atividade física são indicadas, além de promoverem efeito positivo adicional na saúde como um todo.

Confira os Sintomas do Diabetes Tipo II

Aumento da sede;
Aumento do número de micções (principalmente à noite);
Dores em membros inferiores;
Infecções freqüentes;
Alteração visual (visão embaçada);
Dificuldade na cicatrização de feridas;
Formigamento nos pés;
Furunculose.


Fonte: http://www.diabetes.org.br/para-o-publico/tudo-sobre-diabetes/tipos-de-diabetes

Aula de parasitologia



Pessoal, estou disponibilizando a primeira aula de Parasitologia básica para download.

Link: Parasitologia Básica - Angelo Branco

Transporte através da membrana (espanhol)



(Português)

sábado, 2 de abril de 2011

A Origem das Espécies - Charles Darwin em PDF

Para quem se interessar em ler a obra que revolucionou o pensamento biológico apartir de 1859: http://ecologia.ib.usp.br/ffa/arquivos/abril/darwin1.pdf

Evolução vs Criação - Darwin Estava Errado?

Parte 1


Parte 2


Parte 3


Parte 4


Parte 5

SISTEMA REPRODUTOR MASCULINO

O sistema reprodutor masculino é formado por:

Testículos ou gônadas

Vias espermáticas: epidídimo, canal deferente, uretra.

Pênis

Escroto

Glândulas anexas: próstata, vesículas seminais, glândulas bulbouretrais.


Imagem: GOWDAK, Demétrio; GOWDAK, Luís Henrique. Atlas de Anatomia Humana. São Paulo, Ed. FTD, 1989.

Testículos: são as gônadas masculinas. Cada testículo é composto por um emaranhado de tubos, os ductos seminíferos Esses ductos são formados pelas células de Sértoli (ou de sustento) e pelo epitélio germinativo, onde ocorrerá a formação dos espermatozóides. Em meio aos ductos seminíferos, as células intersticiais ou de Leydig (nomenclatura antiga) produzem os hormônios sexuais masculinos, sobretudo a testosterona, responsáveis pelo desenvolvimento dos órgãos genitais masculinos e dos caracteres sexuais secundários:

Estimulam os folículos pilosos para que façam crescer a barba masculina e o pêlo pubiano.
Estimulam o crescimento das glândulas sebáceas e a elaboração do sebo.
Produzem o aumento de massa muscular nas crianças durante a puberdade, pelo aumento do tamanho das fibras musculares.
Ampliam a laringe e tornam mais grave a voz.
Fazem com que o desenvolvimento da massa óssea seja maior, protegendo contra a osteoporose.

Epidídimos: são dois tubos enovelados que partem dos testículos, onde os espermatozóides são armazenados.

Canais deferentes: são dois tubos que partem dos testículos, circundam a bexiga urinária e unem-se ao ducto ejaculatório, onde desembocam as vesículas seminais.

Vesículas seminais: responsáveis pela produção de um líquido, que será liberado no ducto ejaculatório que, juntamente com o líquido prostático e espermatozóides, entrarão na composição do sêmen. O líquido das vesículas seminais age como fonte de energia para os espermatozóides e é constituído principalmente por frutose, apesar de conter fosfatos, nitrogênio não protéico, cloretos, colina (álcool de cadeia aberta considerado como integrante do complexo vitamínico B) e prostaglandinas (hormônios produzidos em numerosos tecidos do corpo. Algumas prostaglandinas atuam na contração da musculatura lisa do útero na dismenorréia – cólica menstrual, e no orgasmo; outras atuam promovendo vasodilatação em artérias do cérebro, o que talvez justifique as cefaléias – dores de cabeça – da enxaqueca. São formados a partir de ácidos graxos insaturados e podem ter a sua síntese interrompida por analgésicos e antiinflamatórios).

Próstata: glândula localizada abaixo da bexiga urinária. Secreta substâncias alcalinas que neutralizam a acidez da urina e ativa os espermatozóides.

Glândulas Bulbo Uretrais ou de Cowper: sua secreção transparente é lançada dentro da uretra para limpá-la e preparar a passagem dos espermatozóides. Também tem função na lubrificação do pênis durante o ato sexual.

Pênis: é considerado o principal órgão do aparelho sexual masculino, sendo formado por dois tipos de tecidos cilíndricos: dois corpos cavernosos e um corpo esponjoso (envolve e protege a uretra). Na extremidade do pênis encontra-se a glande - cabeça do pênis, onde podemos visualizar a abertura da uretra. Com a manipulação da pele que a envolve - o prepúcio - acompanhado de estímulo erótico, ocorre a inundação dos corpos cavernosos e esponjoso, com sangue, tornando-se rijo, com considerável aumento do tamanho (ereção). O prepúcio deve ser puxado e higienizado a fim de se retirar dele o esmegma (uma secreção sebácea espessa e esbranquiçada, com forte odor, que consiste principalmente em células epiteliais descamadas que se acumulam debaixo do prepúcio). Quando a glande não consegue ser exposta devido ao estreitamento do prepúcio, diz-se que a pessoa tem fimose.


Imagem: Superinteressante coleções O Corpo Humano - Sexo: a Atração Vital.

A uretra é comumente um canal destinado para a urina, mas os músculos na entrada da bexiga se contraem durante a ereção para que nenhuma urina entre no sêmen e nenhum sêmen entre na bexiga. Todos os espermatozóides não ejaculados são reabsorvidos pelo corpo dentro de algum tempo.

Saco Escrotal ou Bolsa Escrotal ou Escroto: Um espermatozóide leva cerca de 70 dias para ser produzido. Eles não podem se desenvolver adequadamente na temperatura normal do corpo (36,5°C). Assim, os testículos se localizam na parte externa do corpo, dentro da bolsa escrotal, que tem a função de termorregulação (aproximam ou afastam os testículos do corpo), mantendo-os a uma temperatura geralmente em torno de 1 a 3 °C abaixo da corporal.

Fonte: http://www.afh.bio.br/reprod/reprod1.asp